País Gigante, Povo Tolerante!

O Brasil é um pais GIGANTE, isso ninguém tem dúvida. O conjunto de nossas riquezas, clima, solo e as riquezas naturais que temos, nenhum outro país do mundo tem. Nossa capacidade produtiva e de gerar riquezas é noticiada e reconhecida mundialmente. Para o mundo, e para os pesquisadores, o Brasil “é uma terra em que se plantando tudo dá”. Dá tanto que, só na Amazônia onde tem 230 mil índios, estão lá, roubando o Brasil, 350 ONG’S internacionais. E no Nordeste, onde tem milhões passando fome, não existe ONG’S internacionais e as igrejas são bem poucas.

Ao lado de toda essa riqueza natural, todavia, somos um pais de gente POBRE.

A contradição não fica apenas no fato de que somos um pais rico de gente pobre. Isso porque a pobreza é decorrente da TOLERÂNCIA, pra não dizer COVARDIA, do nosso POVO. Não temos coragem nem de prestar atenção nos noticiários para ver o que esta acontecendo no Pais e conhecer quem são os políticos que roubam.

A carga tributária alcança a todos, miseráveis, pobres, doentes incuráveis e classe média na totalidade e apenas alguns ricos e pouquíssimos abastados.

Aqui já começa a primeira tolerância: os prejudicados não reúnem forças para se contraporem à selvagem carga tributária que lhe é imposta. Da água que é uma riqueza natural ao sepultamento, existe imposto. Ainda não está sendo cobrado imposto, por falta de um medidor, a utilização do ar.

Porem, o fruto dos impostos que deveria ser colhido pelos pagadores de impostos, não alcança senão os mais privilegiados, somente os ricos e os abastados. Isso analisando de forma legal, porque na verdade, os impostos hoje só servem para PAGAR ALTOS SALÁRIOS AOS SERVIDORES PÚBLICOS (não os que trabalham), os POLÍTICOS, que além de ganharem muito ainda roubam, as EMPREITEIRAS que vivem de dinheiro publico emprestado e da corrupção, as USINAS, hidrelétricas, termoelétricas e todas as CONCESSIONÁRIAS de serviço publico, os PARTIDOS POLÍTICOS, os SINDICATOS e os grandes EMPRESÁRIOS, urbanos e rurais de todas as áreas, os MARQUETEIROS e a  MÍDIA “PELEGUEIRA”.

Não há investimento em educação, saúde, segurança, habitação, bem estar social, pesquisa e muitos menos em arte ou cultura. E isso, em todos os níveis de governo.

O estado brasileiro está tão falido que, para colocar ordem, quer dizer, para fazer de conta que está colocando ordem nas favelas do Rio de Janeiro, foi preciso juntar todo aparato estatal de segurança, e o que é pior, estão “apanhando” de cerca de duas ou três centenas de marginais.

Chego a pensar que, se algum “paisinho” declarar guerra contra o Brasil, nós vamos apanhar de chinelo por conta da nossa falta de capacidade de ação, por nossa tolerância e covardia. Não temos coragem nem de exigir nossos direitos. Preferimos dizer “ah isso não tem jeito”. E coisas do gênero.

Não duvido nada caso alguns dos políticos como o MARUN vierem em Sidrolândia, se o Prefeito e os Vereadores não vão inclusive tirar fotos com ele e, ainda, gastar dinheiro publico servindo “uns comes e bebes”. Dou o Marun como exemplo porque tem se revelado uma vergonha nacional.

Num aspecto bem particular, no âmbito do nosso município, todos sabem o que está ocorrendo no Legislativo Municipal: nepotismo, empreguismo, farra de diárias, gratificações indevidas e etc… e enquanto isso, professores são mal remunerados, temos apenas um ambulância que funciona, não temos segurança, mídia paga com dinheiro da saúde e até da educação apenas pra bajular, ruas sem sinalização, lixo sendo jogado sobre o lixo e nós, a população fazendo o que? Ah já sei!!! assistindo a FORÇA DO QUERER.

The following two tabs change content below.

Latest posts by David de Moura Olindo (see all)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *